Fale Conosco Página Principal
 
 

PUBLICAÇÕES


CLIMA TEMPO




LINKS SUGERIDOS



PSICOCAMP

Ultramaratonas


RESPEITE O SEU CORAÇÃO, RESPEITE A VIDA  Veja como a alimentação balanceada e a prática de exercícios físicos são fatores decisivos para a saúde cardiovascular.


 

Principal causa de morte no Brasil, as doenças cardiovasculares são uma grande preocupação para aqueles que querem viver mais e melhor. Dentre seus fatores de risco está a pressão alta, que atinge 23,3% dos brasileiros, segundo pesquisa recente divulgada pelo Ministério da Saúde. Obesidade, vida sedentária, tabagismo, colesterol alto, diabetes, estresse, alimentação inadequada são outros importantes fatores que podem comprometer a saúde do seu coração, sendo assim, que tal aposentar de vez o sofá e partir para a ação?!

“Já está provado por vários trabalhos científicos feitos pelo mundo que a prática de atividades físicas de três a quatro vezes por semana com uma hora de exercícios por vez é o mínimo para se ter uma vida saudável”, exorta o cardiologista Nabil Ghorayeb (CREMESP 15715), presidente do Grupo de Estudos em Cardiologia do Esporte da Sociedade Brasileira de Cardiologia.

Segundo o especialista, o infarto do miocárdio, o acidente vascular cerebral (mais conhecido como derrame cerebral), e as gangrenas, que consistem na má circulação dos membros inferiores, que pode ser causada por obstruções do sistema vascular do individuo, estão entre as principais doenças que afetam o sistema circulatório e prejudicam a qualidade de vida dos brasileiros. “Hoje é unânime no mundo e em programas governamentais o incentivo à prevenção, pois 80% dos internados em hospitais do País estão lá devido a hábitos de vida errados, como obesidade, diabetes, hipertensão, assim a pessoa é prejudicada por passar longos períodos internada e gera gastos que poderiam ser evitados”, explica Dr. Ghorayeb.


A alimentação saudável é a grande parceira da atividade física e fundamental para evitar os problemas cardiovasculares, com mais incidência em pessoas acima de 40, 45 anos. “A dieta ideal é próxima da chamada refeição mediterrânea, com uma salada muito colorida, repleta de vermelho e verde, legumes e vegetais, e o mínimo possível de gorduras saturadas animais”, adverte Dr. Ghorayeb (CREMESP 15715), especialista em medicina do esporte. O médico avisa que não está proibido comer o que se gosta, contudo é vital manter a alimentação saudável a maior quantidade de dias da semana e determinar as quantidades, para não incorrer em exagero.


É indicado consultar preventivamente um cardiologista? Se sim, a partir de quantos anos?


“Sim, a partir dos 40 anos se a pessoa não for atleta, pois se for realizar muitos exercícios ela deve ter um acompanhamento antes de iniciá-los”, afirma o cardiologista Carlos Alberto Pastore, presidente do Grupo de Estudos de Eletrocardiologia da Sociedade Brasileira de Cardiologia. Dr. Pastore cita o teste ergométrico, o ecocardiograma e exames de laboratório entre os essenciais para a “avaliação das reservas cardíacas” e saber “se há alguma alteração estrutural no coração”. Vale ressaltar que aqueles que possuírem antecedentes familiares de doenças, dos pais, ou nos irmãos, pode começar a fazer o exame preventivo aos 20 anos de idade, para controlar o colesterol, por exemplo.

Por ser um músculo irrigado por pequenas artérias (coronárias) que precisam estar  bem abertas para manter a função cardíaca, o médico avisa que as ações em conjunto são a chave para a saúde cardiovascular. “Praticar atividade física e evitar ações que possam agredir as artérias e o próprio miocárdio garantem um envelhecimento com  o coração saudável que permite à pessoa manter todas as atividades possíveis e preserva sua independência”, incentiva Dr. Pastore, livre-docente pela Faculdade de Medicina da USP.

Fontes: Dr. Nabil Ghorayeb (CREMESP 15715), cardiologista presidente do Grupo de Estudos em Cardiologia do Esporte da Sociedade Brasileira de Cardiologia, Especialista em Medicina do Esporte pela SBME-AMB e Doutor em Cardiologia pela FMUSP.

Dr. Carlos Alberto Pastore, cardiologista presidente do Grupo de Estudos de Eletrocardiologia da Sociedade Brasileira de Cardiologia, livre-docente e Professor Colaborador Médico da FMUSP, da qual é orientador de alunos de pós-graduação e pós-doutorado.



Radio Sputnik Brasil
Nossa entrevista à Rádio Sputnik Brasil, dia 14 de junho 2018
Ouça aqui  



Nossa entrevista no programa Jornal Gente da Radio Band AM e FM, dia 2 de setembro 2017 - Cardiologia e Medicina do Esporte
Ouça aqui

 

Facebook CardioEsporte Total


 



Última atualização: 25.01.2015, por Lógika
® CardioEsporte - Todos os direitos reservados.