Fale Conosco Página Principal
 
 

PUBLICAÇÕES


CLIMA TEMPO




LINKS SUGERIDOS



PSICOCAMP

Ultramaratonas


Controle Psicológico das Fortes Emoções do Jogador de Futebol – Ajuda ou Atrapalha?


Não dá para fugir do tema futebol, os que não estão motivados nessa COPA que me desculpem. Como cardiologista e médico do esporte, o aprendizado do perfil psicológico e mesmo psiquiátrico de um paciente, tem como base os bancos universitários.

No esporte, como área específica do conhecimento, a psicologias se desenvolveu de uma maneira extraordinária e apesar das resistências de muitos do contexto esportivo. A nossa seleção desta COPA, seguiu o desejo de seu técnico e trouxe sua experiente psicóloga do esporte, para ajudar na preparação da equipe.

Por coincidência, a psicóloga Dra Regina Brandão, é a autora do capítulo sobre Psicologia do Esporte, do livro "O Exercício"- Ed Atheneu, ganhador do Premio Jabuti de 2000, e editado por nós, junto com o fisiologista e companheiro do EUATLETA, Prof Dr Turíbio Barros.

Como psicóloga da CBF, Dra Regina, usa os testes psicológicos de POMS (McNair 1970), que interpretados de modo experiente, ajudam a comissão técnica a entender, por exemplo, porque muitos jogadores têm dificuldades em jogar em posições diferentes da que estão acostumados, embora técnica e fisicamente poderiam fazê-lo. Ela afirma que existe uma diferença psicológica importante entre o vigor de um atacante, em relação aos jogadores do meio campo e os da defesa. Esse vigor citado, se caracteriza por alta energia, entusiasmo e disposição de explosão de potencia e velocidade.

Testando os atletas regularmente durante o treinamento ao menos uma vez por semana, o psicólogo do esporte poderá observar aumento de ansiedade ou de depressão, que sem dúvida irão prejudicar a performance esperada. Nesse momento crucial, a intervenção de uma psicoterapia "preventiva" poderá corrigir um desastre que se avizinhava, comprometendo o profissional do esporte.

O profissional de psicologia do esporte também está atento ás consequências psicológicas das lesões físicas do esporte, que provocam no atleta, um processo de angústia que passa por estágios crescentes. Se inicia pela dúvida, depois a negação, raiva, barganha, depressão, aceitação e resignação. Usando o teste de POMS consegue-se detectar uma visível diminuição da energia e aumento da tensão, depressão e raiva. A Dra Regina afirma que a aplicação de testes psicológicos, pode prevenir o aparecimento de distúrbios psicológicos e emocionais que podem interferir negativamente na execução das atividades profissionais e até do seu dia a dia.

 

 

Dr. Nabil Ghorayeb - CREMESP 15715
Doutor em Cardiologia (FMUSP)
Especialista  em  Cardiologia  e Medicina do Esporte


Última atualização 30.10.2014
® CARDIOESPORTE - Todos os direitos reservados.
Radio Sputnik Brasil
Nossa entrevista à Rádio Sputnik Brasil, dia 14 de junho 2018
Ouça aqui  



Nossa entrevista no programa Jornal Gente da Radio Band AM e FM, dia 2 de setembro 2017 - Cardiologia e Medicina do Esporte
Ouça aqui

 

Facebook CardioEsporte Total